Projetos de iluminação e refrigeração mais eficientes

A energia elétrica representa o segundo maior custo operacional em alguns supermercados, superando o aluguel e ficando atrás da folha de pagamento dos funcionários, segundo a Abras (Associação Brasileira de Supermercado). Isto motivou as empresas de varejo a desenvolverem projetos de eficiência energética, principalmente em iluminação e refrigeração.

A substituição de lâmpadas fluorescentes por LED é a melhor alternativa para muitas lojas. As principais vantagens são o menor consumo de energia e a maior vida útil das lâmpadas, entorno de 5 anos. A tecnologia LED não emite raios infravermelho e ultravioletas, que em aplicações comerciais podem manchar roupas, calçados e demais produtos expostos em vitrines por muito tempo.

Outra iniciativa de eficiência energética é fechar as gôndolas de congelados e précongelados. As antigas gôndolas abertas não conservavam o frio e exigiam mais energia para refrigeração. Isso permite uma gestão mais eficiente e simplificada do ar condicionado das lojas, reduzindo as áreas de ar frio das gôndolas refrigeradas, embora ainda exista o desafio das zonas de calor dos motores dos equipamentos refrigeração.

Outra alternativa para redução de custos nas lojas é a instalação de geração da própria energia. Atualmente, as grandes lojas que usam tarifas verde ou azul das concessionárias, já acionam seus geradores a diesel no horário de ponta, a partir das 18 horas, para economizar energia. Entretanto, o uso de geradores, que a princípio foram projetados para operar em regime de emergência, aumenta a manutenção devido ao maior desgaste dos componentes e é poluente.

Uma alternativa sustentável é a instalação de painéis fotovoltaicos para a geração de energia. Os custos já reduzir em cerca de 60% nos últimos dez anos no mundo, permitindo retornos de investimento em cerca de sete anos, contra quinze no passado. Os bancos já possuem linhas especiais de crédito entre R$500 mil e R$3 milhões para projetos de geração de energia fotovoltaica.

Muitos projetos de geração de energia fotovoltaica não se viabilizam por custo. Para melhorar a análise econômica é interessante separar o consumo por tipologia. Por exemplo, considerar alimentar a iluminação a LED com energia fotovoltaica. Essa abordagem pode viabilizar vários projetos engavetados.

Deixe uma resposta