Baterias residenciais: a tecnologia está disponível o modelo de negócio ainda não

tesla-powerwall

As baterias Powerwall da Tesla mostram que existem soluções para o uso autônomo de energia residencial sem a concessionária pública. Todo o desenvolvimento tecnológico de baterias para os carros elétricos está sendo utilizados para armazenamento de energia residencial. O ideal é a utilização junto com sistemas fotovoltaicos de geração de energia limpa. Embora, com as novas tarifas preço-horário possa existir oportunidades de armazenar energia em horários de menor custo para utiliza-las em outras de maior custo, a diferença do preço entre as tarifas amortizaria o investimento das baterias. Entretanto, o custo das baterias ainda não é atrativo do ponto de vista de retorno de investimento (ROI).

As baterias Powerwall são construídas com íon de lítio recarregável com controle térmico de líquidos. É um dos poucos produtos no mercado para armazenamento de energia residencial. O lançamento no mercado aconteceu em abril de 2015 e sua nova geração foi lançada em abril de 2018, a um custo de US$5.900 para armazenamento de 13,5kWh (quilowatts) em regime estável de 5kW e picos de 7kW. Incluindo custos de instalação pode chegar a US$8.000.

O Powerwall vem com uma garantia ilimitada de 10 anos que pressupõe que sua bateria seja usada para carregamento e drenagem diários. Esta garantia inclui uma garantia de capacidade que garante que seu Powerwall reterá pelo menos 70% de sua capacidade de manter uma carga durante esse período.

Nos Estados Unidos o custo de um sistema de energia fotovoltaica de 5kW varia entre US$8.500 e US$16.000, dependendo do local e do tipo do equipamento.

Apenas para comparação, um gerador de energia a gasolina de 6kW no Brasil custa em torno de R$4.000,00, sem a necessidade de custos de instalação.

Fica claro que tanto aqui como nos Estados Unidos deve se levar em consideração outros fatores, além do custo dos equipamento e instalação, para optarmos por um sistema de baterias residenciais. O investimento dependerá da configuração do sistema fotovoltaico e da capacidade total das baterias.

O investimento se justificaria para locais remotos onde o atendimento da concessionaria de energia é precário e o quando o proprietário não estiver disposto a abastecer com gasolina o gerador de energia. Pode parecer trivial o abastecimento de combustível, mas requer cuidados para o seu transporte e armazenamento.

O uso autônomo de energia com sistemas fotovoltaico e baterias poderia se justificar para atender pequenas comunidades de baixo consumo de energia onde o custo de levar uma linha de transmissão é mais oneroso. Tipicamente, comunidades ribeirinhas distantes de centros urbanos. Esta prática pode financiada por programas governamentais e de entidades sociais.

O uso combinado de energia fotovoltaica, aquecimento solar e uso de equipamentos com grande eficiência energética podem viabilizar o uso de baterias residenciais.

No futuro, quando os custos reduzirem e novas tecnologias forem introduzidas, juntamente com a tecnologia dos carros elétricos, o uso autônomo de energia será uma realidade. Com isto, teremos um novo cenário de negócios para as tradicionais geradoras, transmissoras e distribuidoras de energia.

Deixe uma resposta