Workshop sobre Eficiência Energética

O workshop revisa as melhores práticas de eficiência energética e, colaborativamente, identifica oportunidades de uso eficiente de energia na empresa.

O workshop oferece subsídios técnicos e informações sobre legislação, normas técnicas, ferramentas para análise econômica e práticas de gestão de eficiência energética tendo como resultado uma lista de propostas de ações e projetos a serem implementados pela organização com o objetivo de maximizar o uso e gastos de energia elétrica, e reduzir a emissão de gases do efeito estufa. Idealmente, devem participar os gestores das áreas de infraestrutura e negócios.

Incialmente, o workshop revisa as principais ações já adotadas ou planejadas pela organização, como:

  • Substituição de lâmpadas incandescentes, de vapor metálico e fluorescentes por LED.
  • Troca de motores superdimensionados e antigos por novos e mais eficientes, aproveitando os incentivos da Aneel, através dos programas especiais das concessionárias de distribuição de energia elétrica;
  • Elaboração anual de projetos para o Programa de Eficiência Energético da Aneel, através das concessionárias de energia elétrica, para a obtenção de financiamento a fundo perdido ou subsidiado para reduzir o consumo de energia;
  • Substituição dos sistemas de refrigeração por sistemas mais eficientes ou com tecnologia de absorção para aproveitar o calor por outros sistemas;
  • Instalação de painéis solares para aquecimento de água;
  • Compra de energia elétrica no mercado livre de energia;
  • Mudança da organização para prédios certificados LEED para reduzir o impacto do custo da energia em suas operações, incluindo salas com climatização independente;
  • Adoção de computação em nuvem (Cloud Computing) para reduzir a emissão de gases do efeito estufa e, consequentemente, atender aos objetivos corporativos de redução do Carbono no escopo 2 no relatório de sustentabilidade;
  • Uso de software para desligar todos os computadores corporativos durante a noite e finais de semana, mesmo quando ficavam em standby;
  • Troca de servidores dos Data Center locais por servidores com microprocessadores mais eficientes em consumo de energia;
  • Aumento da temperatura dos Data Centers locais, seguindo as novas recomendações da ASHRAE para refrigeração de ambientes computacionais;
  • Os desenvolvedores de software revisaram os principais programas de computador para reduzir os tempos de processamento e, consequentemente, reduzir a expansão do Data Center e compra de novos servidores;
  • Adoção de sistemas inteligentes de iluminação interna e externa para serem acionadas por sensores de presença;

Nesta revisão são discutidas ações para melhorar a eficiência das ações já adotadas.

Projetos de eficiência energética devem ter uma abordagem ampla, não se restringindo a substituição de equipamentos eletroeletrônicos, aparelhos de ar condicionado e iluminação. As construções devem adotar novos materiais, arquitetura e áreas verdes para reduzir o uso de equipamentos de climatização e iluminação artificiais.

A indústria deve rever os processos tradicionais de produção e adotar novas técnicas e materiais para reduzir o consumo de energia e emissão de CO2. Auditorias técnicas e acompanhamento de indicadores de consumo ajudam na melhoria contínua dos processos. A norma internacional ISO 50.001 ajuda no desenvolvimento e implantação de estratégias e processos de racionalização do uso de energia elétrica e o engajamento dos principais interessados, os stakeholders.

Uma gestão energética eficiente identifica oportunidades de melhoria contínua dos processos empresariais e direciona ações com maiores retornos de investimentos. Na área pública, auxilia na definição de projetos, maximização dos investimentos, redução de gastos e na formação de uma cultura sem desperdícios nos cidadãos.

Duração do workshop: 8 horas

Roteiro do workshop

  1. Geração de energia elétrica
    1. Matriz energética brasileira
    2. Fontes convencionais
    3. Fontes renováveis
    4. Geração distribuída
    5. Baterias de grande capacidade
    6. Gerenciamento da geração
    7. Mercado Livre de Energia
  2. Transmissão de energia elétrica
    1. Sistema Integrado Nacional (SIN)
    2. Monitoração e controle
  3. Distribuição de energia elétrica
    1. Modalidade tarifária
    2. Outras cobranças
    3. Revisão tarifária
    4. Exigências das instalações
    5. Monitoração e controle
    6. Smart Grid
    7. Níveis de serviços das concessionárias
  4. Eficiência energética na indústria
    1. Caldeiras e fornos
    2. Motores de indução trifásicos
    3. Compressores e ar comprimido
    4. Bombas de vácuo
    5. Bombas de fluxo e ventiladores
    6. Transformadores
  5. Planejamento urbano e eficiência energética
    1. Clima e planejamento urbano
    2. Iluminação pública
    3. Saneamento e usinas de biogás
    4. ISO 37.120 (Cidades Sustentáveis)
    5. PROCEL GEM – Gestão Energética Municipal
  6. Auditoria energética
    1. Auditoria energética
    2. Norma ISO 50.001
    3. Medição & Verificação (M&V)
  7. Certificações e relatórios de sustentabilidade
    1. ISO 14.000 (Gestão Ambiental)
    2. Global Reporting Initiative(GRI)
  8. Programa de eficiência energética da Aneel
    1. Objetivo e premissas do programa
    2. Avaliação e gestão dos projetos
    3. Tipologia dos projetos
    4. Roteiros básicos para a elaboração de projetos
    5. Gestão Energética Municipal (GEM)
    6. Critérios de avaliação
    7. Fiscalização dos projetos

Depois de cada tópico apresentado acontece uma sessão de discussão, brainstorming e propostas de ações e projetos. Ao final o material é consolidado e eleitas ações e projetos para análises mais detalhadas para implementação.

O acompanhamento é realizado por vídeo conferência via Internet em período a ser determinado, estabelecido a partir da complexidade das ações selecionadas.